10 Jan

Educação, moral e ética / 08.08.2007

Educação, moral e ética 8.Ago.2007

José Carlos Manhabusco*

Seguindo a orientação de um amigo, vamos revolver a discussão acerca do tema. Não se trata de repisar o que fora dito anteriormente, mas sim, fomentar o debate mais profundo, na medida em que, ainda existem profissionais que desafiam o conceito, especialmente da ética.

Segundo o dicionário AURÉLIO, ética significa: "Estudo dos juízos de apreciação referentes à conduta humana, do ponto de vista do bem e do mal. Conjunto de normas e princípios que norteiam a boa conduta do ser humano".

No citado conceito, o autor procura estabelecer uma visão sob a ótica da conduta da pessoa na sociedade. Não há, em princípio, a preocupação da conduta profissional.

Ocorre que, muito embora a conduta moral se encontre dentro da conduta profissional, na realidade o procedimento humano acaba por estabelecer uma diferença inexistente. O ser humano pensa que pode agir na vida social de uma maneira e na vida profissional de outra maneira. Puro engano.

Na verdade somos levados a estabelecer comparações entre as atitudes. O que gostaríamos é que, todo profissional agisse com ética, seja no cotidiano social, seja na lide profissional.

A educação consiste em um processo de aprendizado. Adquire-se conhecimento das matérias científicas. Estudam-se fenômenos sociais. Agregam-se comportamentos. Enfim, há uma evolução global do mundo em que vivemos.

Por tal razão, ouso dizer que educação não é somente cultura, mas acima de tudo conhecimento geral.

Eu tive o prazer de ser aluno do professor que criou a matéria Educação Moral e Cívica. Lembro-me do Professor Álvaro Moitinho Neiva. Bela recordação. A cadeira perdurou no currículo escolar por muitos anos. Causa espanto a sua retirada.

O Professor me ensinou bons exemplos de civismo. A luta pela dignidade; honra; reputação, foi marco decisório. Uma nação sem o poder de decidir seu próprio destino, não é uma nação forte. O povo deve conhecer seus direitos e sua obrigações.

Ao oferecermos exemplos de outras nações, nada estamos criando, apenas admitindo nossa inferioridade. A luta pelo respeito a dignidade deve ser bandeira de todos nós.

Voltando a ética. Agora em termos jurídicos. A ética é derivada do grego ethikós, e definida por muitos como a "ciência da moral". Na terminologia da técnica profissional, é o vocábulo usado, sob a expressão da ética profissional, para indicar a soma de deveres, que estabelece a norma de conduta do profissional no desempenho de suas atividades e em suas relações com o cliente e todas as demais pessoas com quem possa ter trato.

DE PLÁCIDO E SILVA, Vocabulário Jurídico, confirma que: "A ética estabelece a pauta de suas ações em todo e qualquer terreno, onde quer que venha a exercer a sua profissão. Em regra, a ética profissional é fundada no complexo de normas, estabelecidas pelos usos e costumes. Mas, pode ser instituída pelos órgãos, a que se defere autoridade para dirigir e fiscalizar a profissão".

Os advogados possuem o Código de Ética Profissional instituído pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. Em seu primeiro artigo, sintetiza toda a essência da ética a ser seguida pelo advogado: "O exercício da advocacia exige conduta compatível com os preceitos desse Código, do Estatuto, do Regulamento Geral, dos Provimentos e com os demais princípios da moral individual, social e profissional."

A questão não diz respeito apenas a classe dos advogado, sendo aplicável aos odontólogos, médicos, engenheiros e demais carreiras. A concorrência não deve comprometer a ética. O valor dos honorários é importante para sobrevivência do profissional, bem assim para o seu aperfeiçoamento.

Cobrar é necessário, contudo, deixar de receber condignamente é pior. Na busca de cliente o profissional deve observar o procedimento moral. Se existe uma tabela, deve segui-la. Se há valor mínimo, deve cobrá-lo. A desvalorização no presente pode se transformar em dificuldades no futuro. O respeito profissional é o maior aliado na busca do sucesso. Luto pelo respeito a dignidade profissional. Classe forte, profissional forte. VIVA A DEMOCRACIA!!! Agradeço ao Dr. Sandro Barbara (odontólogo) pelo incentivo.

*Conselheiro Estadual da OAB/MS

Contato: José Carlos Manhabusco / manhabusco@hotmail.com

Read 496 times