10 Jan

Final feliz 17.09.2003

Final Feliz 17.Set.2003

José C. Manhabusco*

A unanimidade de opiniões é uma coisa, senão impossível, difícil de alcançar. O exercício da democracia flutua na orla da liberdade de expressão e pensamento. Dentre os atributos da pessoa encontra-se o poder de manifestação. Podemos nos utilizar deste requisito a qualquer momento e em diversas situações. Somente que, devemos admitir, integralmente, o resultado da escolha.

Encontrava-se em fase de implantação a Associação dos Advogados Trabalhistas de Dourados. No início era apenas a pretensão de um pequeno grupo de advogados que militam na Justiça do Trabalho. Depois, a idéia foi tomando corpo com a união de mais alguns. Logo em seguida veio a discussão e a elaboração do estatuto.

Finalmente no dia 12 de setembro de 2003, às 19h, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil, foi eleita a Diretoria Executiva e o Conselho da AAT - Dourados. Integram aqueles dois órgãos 15 (quinze) membros.

Convém destacar que a eleição foi determinada pelos participantes na ocasião, sendo que a votação, através do voto secreto, determinou a escolha do Presidente e do Vice-Presidente, com a integração dos cargos pelos advogados presentes e colaboradores da iniciativa.

Ressaltando que não se trata de constituição de uma entidade paralela ou concorrente, mas sim voltada para aprimorar os conhecimentos específicos na área do Direito do Trabalho, bem como primar pelo fortalecimento da categoria, servindo de veículo comunicador entre a entidade e os representantes da magistratura trabalhista.

Para se ter uma idéia da importância da necessidade da AAT - Dourados, observa-se que atuam direta e exclusivamente na Justiça do Trabalho cerca de 50 (cinqüenta) profissionais, ou seja, um número expressivo de advogados que militam perante aquela especializada.

Mas não é só. Não basta eleição de representantes, sem que haja representatividade. A responsabilidade dos que tiveram a incumbência de dirigir a entidade é ponto alto do seu nascimento. Muito embora a idéia de geração tenha vindo de poucos advogados, a proposta teve a aceitação de grande número de advogados trabalhistas.

Lamentamos a ausência de muitos colegas, entretanto, a porta da casa encontra-se aberta para todos. As críticas são importantes, mas a participação causa maior resultado. Dar idéias, sugestões etc. é preciso, porém devem ser oferecidas espontaneamente. O que não é bom para alguns, pode ser para outros. A OAB SEMPRE SERÁ A CASA DOS ADVOGADOS.

*Advogado e Conselheiro Estadual da OAB/MS. E-mail: manhabusco@hotmail.com

Read 524 times